Dor nas mãos

Dor nas mãos

Dor nas mãos

Apercebemo-nos de como as mãos são essenciais para executar quase todas as atividades diárias especialmente quando há uma dor nas mãos aguda ou crónica que impede que sejam usadas de uma forma natural ou que limita os seus movimentos de algum modo. Infelizmente, o uso generalizado das mãos e a complexidade da sua estrutura anatómica, a probabilidade de ocorrência de dores nas mãos, de vários tipos é bastante elevada em qualquer idade, e especialmente depois dos 40-50 anos de idade.

Principais causas de dor nas mãos

As causas possíveis de dor nas mãos são inúmeras e diversificadas. A dor aguda nas mãos de origem traumática tem geralmente maior prevalência entre crianças, adolescentes e jovens adultos, muitas vezes devido a acidentes de trabalho e exercício físico, ou a quedas com suporte inadequado das mãos e punhos.

Na idade adulta, nas pessoas que praticam desporto ou executam atividades que obrigam ao uso intenso ou a movimentos repetitivos da mão, do punho e dos dedos, pode também ocorrer dor nas mãos resultante da pressão excessiva aplicada sobre articulações e tendões específicos. Nestes casos trata-se sempre de dor nas mãos com uma componente inflamatória, que agrava com o movimento e melhora com o repouso, afetando principalmente a mão mais usada.

A partir dos 40 anos idade, a dor nas mãos pode começar a ocorrer de forma recorrente ou crónica, como manifestação de uma doença reumática ou inflamatória de origem imunitária (como a gota ou a artrite reumatoide) ou após alterações degenerativas que envolvam dores num nervo (por exemplo, no nervo mediano na síndrome do túnel cárpico), num tendão (como o extensor e o abdutor do polegar na tenossinovite de De Quervain) ou nas articulações (como na osteoartrite da mão).

No caso da síndrome do túnel cárpico e da tenossinovite de De Quervain, a dor nas mãos localiza-se na região interna do punho, na base do polegar (apenas um de cada vez) e pode ser acompanhada de inchaço, formigueiro, dificuldade na preensão de objetos ou ressalto/bloqueio do polegar.

Na osteoartrose da mão e na artrite reumatoide, a dor nas mãos é frequentemente bilateral, associada a uma limitação dos movimentos (especialmente de manhã) e fraqueza na preensão. Nas fases mais avançadas da doença há também uma degeneração articular com formação de proeminências ósseas e nódulos.

Como aliviar a dor nas mãos

Saber como agir em caso de dor nas mãos é importante tanto para reduzir o desconforto como para prevenir a incapacidade consequente. A abordagem a considerar no alívio da dor nas mãos está relacionada com a causa aguda ou crónica que a originou e com a presença ou ausência de lesões ou alterações nas estruturas articulares ou tendinosas.

Por exemplo, a dor aguda nas mãos devido a traumatismo e/ou inflamação de uma cápsula articular ou de um tendão deve ser inicialmente tratada com repouso e aplicação de gelo várias vezes ao dia, durante 15-30 minutos de cada vez. Além disso, podem utilizar-se medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINE), como o Arginato de Ibuprofeno (Spidifen EF) durante alguns dias.

Para evitar a realização de movimentos dolorosos e eventuais posturas inadequadas, o médico poderá recomendar o uso de uma tala de imobilização, durante o dia e/ou noite. Esta estratégia é usada especialmente em caso de lesão nas estruturas articulares e tendinosas, síndrome do túnel cárpico ou tenossinovite de De Quervain.

Ao contrário, se a dor nas mãos for resultante de osteoartrite ou artrite reumatoide, é geralmente aconselhado que seja novamente iniciado o movimento das mãos, cuidadosamente, assim que possível, para evitar a rigidez articular e a perda de função das articulações envolvidas. Por outro lado, em vez de gelo poderá ser benéfico aplicar calor para reduzir a rigidez. Mesmo nestes casos, os AINE, tomados de acordo com as indicações do médico, podem ser úteis para controlar a dor e a inflamação nas mãos.

Em quaisquer casos de dor nas mãos crónica/recorrente, a fisioterapia e o treino para um uso mais ergonómico das mãos podem ser benéficos, com aprendizagem de gestos alternativos aos que provocam dor.

Quando consultar um médico

Em geral, após um traumatismo agudo relevante e quando a dor nas mãos é de intensidade moderada a intensa, recorrente e associada a limitação dos movimentos e/ou não controlada com repouso, com a aplicação de gelo e com a toma de AINE orais, é sempre aconselhável consultar um médico para avaliar a situação e identificar a terapêutica mais adequada.

Em caso de síndrome do túnel cárpico e tenossinovite de De Quervain, quando até a terapêutica com corticosteroides falha, torna-se muitas vezes necessário recorrer à cirurgia. Ao contrário, na osteoartrite da mão e na artrite reumatoide, a possibilidade de uma cirurgia ortopédica é proposta apenas em casos selecionados.

Qual é a sua dor?

Saiba em que dores pode utilizar Spidifen EF
para obter alívio mais rápido.
Qual é a sua dor?

Como prefere tomá-lo?

O que é Spidifen EF?