Dor muscular

Dor muscular

O que é?

Em jargão médico chamam-se “mialgias” e são dores que envolvem um ou vários músculos, portanto, podem afetar áreas extensas do corpo. Não devem ser subvalorizadas: a dor pode ser ligeira, moderada e, por vezes, lancinante; pode resolver-se espontaneamente após alguns dias, mas também pode prolongar-se durante meses.

As dores musculares encontram-se entre os principais problemas de saúde reportados: mais de 80% das pessoas dizem já ter sofrido uma lombalgia não especificada de origem muscular durante a sua vida. A dor musculoesquelética encontra-se entre os principais motivos que levavam a uma consulta médica.

A dor muscular é diferente da dor cutânea ou da dor nos órgãos internos, tanto no que se refere aos mecanismos subjacentes como na forma como são "sentidas". É normalmente descrita como:

  • uma dor profunda;
  • difícil de localizar;
  • percebida como cãibras, laceração ou pressão;
  • que não é facilmente suportável.

Quando a dor não tem origem nos músculos, mas sim nos tendões, as estruturas fibrosas que unem os músculos aos ossos, falamos de uma tendinite, ou tenossinovite se também estiver envolvida a bainha que protege algumas fibras tendinosas. A tendinite ocorre por excesso de uso do tendão, causando um verdadeiro traumatismo ou uma lesão microtraumática.

Causas da dor muscular

DOR MUSCULAR LOCALIZADA

A dor muscular é uma patologia comum, mas há ainda diversos aspetos a descobrir sobre os fatores precipitantes. As causas mais frequentes são:

  • esforço muscular excessivo, uma situação observada com frequência entre os atletas, quando têm tendência para treinar aplicando sempre a mesma força sobre os músculos e de uma forma repetitiva, sem variações;
  • repetição do mesmo movimento ao longo do tempo, característica em algumas atividades profissionais;
  • traumatismo direto ou indireto (se for devido a um impacto);
  • sedentarismo (que origina atrofia muscular devido à inatividade);
  • postura incorreta;
  • tensão e stress.

Nestes casos, a dor é normalmente localizada, afetando uma área restrita do corpo, um ou alguns músculos.

Quando o músculo é sujeito a uma força superior à que consegue suportar, ou se o esforço é exigido numa altura em que o músculo não está “preparado”, podem ocorrer estiramentos ou distensões musculares. O estiramento não envolve lesão das fibras musculares, enquanto na distensão sofrem uma laceração súbita. A gravidade da lesão é classificada segundo o número de fibras envolvidas: pode ser ligeira se afetar poucas fibras (lesão de grau 1), pode envolver um número significativo de tecidos afetados (lesão de grau 2) e em casos particularmente graves apresenta uma rotura completa do músculo afetado (lesão de grau 3).

Dor muscular sistémica

Se estiver espalhada por todo o corpo, trata-se de uma dor muscular sistémica com causas distintas:

  • uma doença infecciosa;
  • uma patologia (por exemplo, artrite reumatoide, lúpus, fibromialgia);
  • gripe, ou uma doença viral semelhante;
  • um efeito secundário resultante de alguns medicamentos de utilização corrente, como as estatinas (que baixam os níveis de colesterol no sangue) e os corticosteroides;
  • abuso de álcool.

Localizações da dor muscular

A dor muscular pode desenvolver-se em qualquer local do corpo; a barriga da perna, as coxas e as costas são as regiões anatómicas mais propensas às distensões.

DOR NOS MÚSCULOS DA PERNA SEM ESFORÇO

As pernas são muito propensas à dor muscular, mesmo sem esforço físico, especialmente a barriga da perna, mas o desconforto pode afetar qualquer ponto dos membros inferiores, incluindo a coxa e os pés. Normalmente, trata-se de uma dor causada por cãibras (ou seja, uma súbita contração muscular) e que ocorre durante a noite, quando o corpo está em repouso. Quando a cãibra termina, a área afetada permanece dorida durante algum tempo, ou mesmo algumas horas. As cãibras podem surgir sem qualquer razão aparente, ou podem ser um sintoma ou uma complicação resultante de uma situação específica (por exemplo, gravidez, doença hepática, toma de determinados fármacos ou esforço excessivo).

Dor muscular: sintomas

Os sintomas musculares dependem do tipo de lesão.

  • O estiramento manifesta-se com uma dor que tende a tornar-se progressivamente mais forte; ao tocar no músculo é possível também sentir uma tumefação dolorosa.
  • A distensão muscular provoca uma dor mais intensa do que a do estiramento e pode causar derrame sanguíneo com a formação de hematoma (quanto mais grave for a lesão muscular, mais extenso será o hematoma). A dor está presente em repouso e agrava com o movimento e a tensão. Consequentemente, o músculo não pode ser usado (incapacidade funcional) e o inchaço, a vermelhidão e a equimose podem também manter-se.

A dor está também presente no caso da tendinite, manifestando-se com o movimento e a compressão do tendão. Numa tenossinovite pode observar-se alguma tumefação. Os sintomas surgem na região do tendão afetado.

Inflamação muscular

A dor muscular resulta da ativação dos nociceptores, recetores específicos especializados na identificação de estímulos nocivos para os tecidos (que sentimos na forma de dor). Devido a um traumatismo ou a uma sobrecarga mecânica, as moléculas inflamatórias “ligam” os nociceptores que iniciam a sensação dolorosa. Quando o músculo sofre um “ataque”, a resposta inflamatória é despoletada, envolvendo várias moléculas e células que sensibilizam as fibras nervosas e originam a libertação de mediadores químicos que, por sua vez, atuam sobre os nociceptores. É por isso que a dor e a sensibilidade dolorosa aparecem após uma lesão aguda do músculo.

Entre os principais fatores que desencadeiam a dor nos músculos encontra-se a adenosina trifosfato (ATP, uma molécula constituinte das células do corpo e, em particular, das células musculares) e a redução do pH ao nível dos tecidos (condição característica das lesões musculoesqueléticas).

Prevenção

Alguns conselhos que podem ajudar a prevenir as lesões musculares ou dos tendões.

Faça um aquecimento adequado

Fortaleça a musculatura

Tenha em atenção a técnica

Interrompa a atividade quando sentir cansaço.

Pare e descanse se sentir dor

Evite atividades que impliquem esforços excessivos

Mude o tipo de exercício ou de atividade desportiva

Recomendações

No caso de uma lesão muscular ou dos tendões, é geralmente aplicado o método “PRICE”: Proteção, Repouso, Gelo, Compressão, Elevação.

  • Imobilize a zona afetada para a proteger de quaisquer traumatismos adicionais e para facilitar a regeneração dos tecidos.
  • Mantenha em repouso o músculo lesionado ou o tendão inflamado, tendo cuidado para não fazer movimentos que provoquem dor.
  • Aplique um saco de gelo sobre a zona lesionada durante 15-20 minutos, e repita a sua aplicação a cada 2-3 horas. O frio ajuda a aliviar a dor e a reduzir a tumefação e a inflamação.
  • Uma ligadura de compressão ajuda a diminuir a tumefação; a ligadura deve ser enrolada de fora para o centro, procurando não a apertar demasiado.
  • Mantenha o membro afetado elevado, para minimizar a acumulação de líquido.

Além disso, poderá experimentar tomar Spidifen EF, um medicamento anti-inflamatório não esteroide (AINE) à base de Arginato de Ibuprofeno, que inibe a síntese de mediadores da dor e da inflamação e proporciona um rápido efeito analgésico e anti-inflamatório.

QUER SABER MAIS SOBRE DOR MUSCULAR NAS PERNAS?

Como prefere tomá-lo?

O que é Spidifen EF?