Odontalgia

Odontalgia

O que é?

Odontalgia (dor de dentes) é a designação dada à dor em torno dos dentes e maxilares.

É um dos mais frequentes tipos de dor, afetando, segundo um estudo da Organização Mundial de Saúde, mais de 3 mil milhões de pessoas no mundo. Às vezes dificulta a capacidade de morder e mastigar, a concentração e até mesmo o sono.

Caracteriza-se por:

  • Um aparecimento súbito.
  • Uma intensidade variável, que pode oscilar entre um ligeiro desconforto e uma dor intensa e aguda, ser ocasional e breve ou contínua.
  • Uma resposta exacerbada a um estímulo normalmente indolor, como a exposição ao frio ou ao calor, o contacto com bebidas e alimentos açucarados ou a simples mastigação.

Causas da odontalgia

DOR DE ORIGEM DENTÁRIA

A dor de dentes ocorre quando a parte mais interna do dente, denominada polpa dentária, fica inflamada. As causas pode ser muito diversas:

  • Cárie: infeção bacteriana que se desenvolve no interior do dente. Quando a erosão causada pela cárie é tão extensa que destrói o esmalte dentário (a camada mais superficial do dente), a dentina (o material que constitui a estrutura interna do dente) fica exposta às agressões de agentes externos (quente, frio, alimentos açucarados ) que inflamam a polpa dentária. A higiene oral inadequada é um dos principais fatores para o aumento do risco de desenvolvimento de cárie dentária. Quando a cavidade se torna mais profunda e lesão do dente aumenta, ocorre uma inflamação direta da polpa, ou seja, uma pulpite.
  • Abcesso: uma infeção com acumulação interna de pus. Pode ter origem numa cárie ou numa pulpite que não foi adequadamente tratada. Há suspeita do seu desenvolvimento quando o dente se torna sensível à mastigação e à percussão: nestes casos, a dor de dentes é frequentemente acompanhada de inchaço, febre, mau sabor na boca.
  • Fratura dentária: muitas vezes é tão pequena que é invisível a olho nu. A elevada sensibilidade dentária ao frio e ao calor pode ser sintoma de uma fratura num dente.
  • Recessão gengival: a retração da gengiva pode deixar expostas as partes mais sensíveis da raiz do dente.

DOR SEM ORIGEM DENTÁRIA

Outras causas possíveis dos episódios de dor de dentes estão relacionadas com afeções orais que não implicam a polpa dentária, mas sim os tecidos que suportam o dente, como:

  • Gengivite e periodontite, nas quais a gengiva fica avermelhada e aumenta de volume. Caracterizam-se por dor persistente, sem localização precisa, contínua ou que ocorre durante a mastigação.
  • Os abcessos periodontais e as lesões gengivais, como as aftas e as úlceras, ou a inflamação nas gengivas devido à erupção de um dente, como acontece nos dentes do siso, denominada pericoronarite, que pode ocorrer com secreção purulenta e dor que agrava com a mastigação.
dor nas articulações sinusite recorrente

Odontalgia sem cárie

É possível que algumas pessoas se queixem de dor mesmo quando não têm lesões dentárias ou gengivais, como acontece na odontalgia sem cárie, cujo diagnóstico é mais difícil. De facto, muitas dores agudas na face e boca podem simular os sintomas típicos da dor de dentes.

As mais frequentes são:

dor nas articulações, localizada junto da articulação temporomandibular, pode estender-se até ao maxilar, de tal forma que poderá originar a suspeita de uma afeção dentária;

sinusite recorrente, que pode provocar uma dor persistente e contínua que envolve os dentes da arcada superior, que agrava quando a pessoa está deitada ou dobrada.

Sintomas da dor de dentes

Compreender as características que a dor apresenta quando se manifesta é um passo para encontrar facilmente a causa da dor de dentes.

  • Quando a dor surge apenas na presença de um estímulo precipitante e tende a desaparecer quando o estímulo para, pode ser facilmente atribuível a uma pulpite reversível, que coincide frequentemente com uma cavidade rasa.
  • A dor que se prolonga algum tempo depois de ter sido provocada ou que aparece espontaneamente e não revela quaisquer sinais de atenuar é atribuível a uma inflamação irreversível da polpa dentária.
  • A dor constante que agrava quando se mastiga ou morde e na qual o dente afetado é claramente identificado, poderá, por sua vez, indicar a presença de um abcesso. Às vezes, estes sintomas podem ser acompanhados de inchaço da mucosa com a face inchada e dolorosa.
  • Outras vezes, uma dor aguda, intermitente e tipo facada pode ser um sintoma de nevralgia causada por uma lesão nervosa. A dor de dentes pode ser facilmente confundida com a nevralgia do trigémeo, por isso é necessário procurar cuidados médicos para que possa ser estabelecido um diagnóstico correto para tratar a dor adequadamente.

Prevenção e recomendações

A melhor forma de prevenir o aparecimento de uma dor de dentes é cuidar adequadamente dos dentes e das gengivas, mantendo-as tão saudáveis quanto possível. Para isso é necessário:

  • Consultar o seu médico dentista regularmente: as consultas regulares permitem identificar os primeiros sinais de afeção oral e tomar medidas apropriadas, como a destartarização, que poderão prevenir o aparecimento de problemas na cavidade oral.
  • Limitar a ingestão de bebidas e alimentos açucarados: deve evitar-se o açúcar, que os doces, bolachas e petiscos contêm, preferindo a fruta e os vegetais, que estimulam a salivação, favorecendo a remineralização do esmalte dentário.
  • Cuidar dos dentes e das gengivas: escovar os dentes regularmente, 2 vezes por dia durante cerca de dois minutos, com pasta dentífrica fluoretada e usar fio dentário todos os dias previne o aparecimento de cáries.
  • Evitar fumar: o tabagismo aumenta em 7 vezes o risco de desenvolvimento de problemas nas gengivas.

Quando, apesar das medidas de prevenção, a dor de dentes ocorrer, poderá ser necessário consultar imediatamente o médico dentista ou o um médico.

 

DEVERÁ CONSULTAR UM ESPECIALISTA SE A DOR DE DENTES:

  • se prolongar durante mais do que dois dias;
  • não aliviar mesmo após a toma de analgésicos;
  • for acompanhada de febre alta, dor na mastigação, vermelhidão das gengivas ou mau sabor na boca;
  • for acompanhada de inchaço na face ou nos maxilares.

 

PARA ALIVIAR A DOR DE DENTES:

  • poderá ser benéfico tomar um medicamento analgésico e anti-inflamatório. Spidifen EF, à base de Arginato de Ibuprofeno, é um anti-inflamatório indicado para o tratamento da diversos tipos de dor, incluindo a dor de dentes;
  • é aconselhável bochechar com água morna e sal;
  • poderá ser útil ingerir preferencialmente alimentos moles, como o iogurte e os ovos mexidos;
  • é preferível não ingerir alimentos açucarados, muito quentes ou muito frios;
  • não é aconselhável fumar;
  • deverá evitar alimentos difíceis de mastigar.

 

Antes de iniciar qualquer tratamento, consulte o seu médico ou farmacêutico.

PARA SABER MAIS SOBRE DOR DE DENTES

Como prefere tomá-lo?

O que é Spidifen EF?